Após pressão de blogs e sociedade, Roseana extingue o ‘Bolsa Eleição’

Por John Cutrim

Em nota emitida agora há pouco, o governo Roseana Sarney
confirmou a extinção do Conselho de Gestão Estratégica do Governo do Estado,
chamado de “Bolsa Eleição”, espécie de mensalão pago com dinheiro público a
cabos eleitorais e aliados do grupo Sarney, entre ex-prefeitos e parentes de
políticos da base da oligarquia. Inicialmente o Conselho comportaria apenas os
secretários, mas foi ampliado para 40 membros e, por meio de recente medida
provisória, aumentou 156 vagas, totalizando 206 conselheiros, que recebiam
mensalmente um jeton de R$ 5.850.
A denúncia foi feita pelos deputados
Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Bira do Pindaré (PT) , Othelino Neto (PPS),
Marcelo Tavares (PSB) e Cleide Coutinho (PSB) mostrando que o governo Roseana
mantinha 206 conselheiros, que recebiam mensalmente do governo do estado quase
seis mil reais para participarem de uma única reunião mensal.
A denúncia gerou revolta nos maranhenses que nas redes sociais e
nos protestos de rua, condenaram a sinecura dada a políticos que funcionariam
como cabos eleitorais do governo em 2014. Cada reunião do Conselho custaria R$
1,2 milhão ao erário público. Anualmente seria desperdiçados R$ 14.461.200,00
milhões.
Para o líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado
Rubens Jr, o fim do Conselho foi uma vitória da população. “Graças às nossas
denúncias e com o apoio da OAB, Roseana Sarney acaba de extinguir o ‘Conselhão’
que concedia o bolsa a políticos não-eleitos de sua base aliada. Nós
denunciamos, a sociedade pressionou! Aproveito pra agradecer o apoio da Ordem
dos Advogados do Brasil, que recebeu representação assinada por todos os
deputados da oposição e iria ajuizar uma Adin [Ação Direta de
Inconstitucionalidade]. Esse é um jeito novo e coerente de fazer política! Não
nos calaremos!”, comemorou.
Leia a nota emitida pelo
governo extinguindo o Bolsa Eleição, publicado no Maranhão da Gente:
A
governadora Roseana Sarney decidiu extinguir o Conselho de Gestão Estratégica
de Políticas Públicas, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e os
Conselhos de Articulação Regional. Essa decisão alcança, inclusive, os membros
do CONGEP que são secretários de Estado.
Tal medida dá início a um programa de
manutenção do equilíbrio fiscal tão duramente alcançado durante o seu mandato e
que exige redobrada atenção diante da perda de arrecadação que tem se acentuado
nos últimos meses.
A governadora também reafirma que essa
iniciativa é essencial para que se mantenha o programa de investimentos nas
áreas prioritárias de mobilidade urbana, infraestrutura, educação, saúde,
combate à pobreza e segurança pública.

Essa medida vai ao encontro das reivindicações
da sociedade e de uma nova realidade que o Brasil experimenta.”

Deixe uma resposta