Dutra fez “teatro grotesco”, diz Marco Feliciano.

O
presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados,
deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), disse em entrevista à revista Veja
desta semana que o deputado federal Domingos Dutra (PT) fez “teatro rotesco” ao
renunciar à presidência da Comissão para não conduzir o processo de eleição do
pastor.
Em discurso no qual chegou a
derramar lágrimas, o petista maranhense disse entregar o cargo porque não
concordava com o impedimento de que populares que protestavam contra o novo
comandante acompanhassem de dentro do plenário da CDH a votação que acabou por
eleger Feliciano.
Segundo o presidente da
Comissão, Dutra chegou a pedir tranquilidade a ele um dia antes da eleição.
“Eu conversei com ele um dia
antes da votação que me elegeu. Tudo na paz. Ele disse: ‘Fica tranquilo’. Era
um acordo partidário. E acordo partidário não se quebra essa Casa. estava tudo
certo. No dia seguinte ele chegou à Câmara e deu um espetáculo. Renunciou à
presidência da Comissão, ameaçou chorar, disse que o que ele estava vendo lá
era totalitarismo, uma ditadura. Foi uma encenação piegas. Um teatro grotesco”.
Disparou
(veja
acima
).
Aqui você ainda pode ver o discurso de
Dutra (a coisa toda fica boa lá pelo quinto minuto do vídeo).

Deixe uma resposta