Obras da adutora do Italuís está bem adiantada

Obras de substituição dos 19
quilômetros da adutora do Sistema Produtor Italuís, no Campo de Perizes, estão
em ritmo acelerado. Estão concluídos 15 quilômetros do aterro e 50% das estacas
de concreto que darão sustentação à nova estrutura estão cravadas no aterro, a
uma profundidade que varia de oito a 32 metros e um espaçamento de 24 metros
entre cada uma. A conclusão da obra orçada em R$ 106.887.593,62 está prevista
para novembro de 2013.
A base das
estacas receberá um bloco de concreto para colocação da nova tubulação de aço
patinável, que ficará suspensa para facilitar os trabalhos de manutenção e
evitar a criação de bolsões de ar nos tubos. A nova adutora está sendo
instalada sobre pilotis, paralela à BR-135 e distante 40 metros das torres de
alta tensão da Eletronorte, o que evita a indução magnética.
A obra está
sendo realizada por meio da parceria entre os governos federal e estadual. O
Sistema Italuís é responsável pelo abastecimento de 60% dos bairros da capital.
O serviço, também, contempla uma ponte de treliça sobre a qual a adutora
atravessará o Estreito dos Mosquitos, segundo explica o presidente da Companhia
de Saneamento Ambiental (Caema), João Moreira Lima.
O
remanejamento da adutora vai estabilizar o sistema de abastecimento e garantir
sobra de água para utilização em outros setores da cidade. “O novo sistema
terá um ganho de vazão com o aumento do diâmetro da tubulação e uma maior
confiabilidade”, explicou João Moreira. Serão 19 km de tubos de ferro
dúctil DN 1200 mm que serão substituídos por modernos tubos de aço de 1400 mm
de diâmetro (aço patinável, mais resistentes à corrosão, com espessura de chapa
12,7mm com costura helicoidal, revestida interna e externamente).
O Sistema
Produtor Italuís tem sofrido, nos últimos anos, constantes rompimentos,
ocasionados pelo alto teor de corrosão grafítica na tubulação da adutora. A
expectativa é que após a conclusão da obra de substituição terminem as
interrupções no abastecimento de água em toda São Luís.
Além da
substituição da adutora, a Caema vai instalar 130 mil hidrômetros nas
residências da capital, visando diminuir os vazamentos e as perdas de água
contabilizadas atualmente. O objetivo é fazer melhor controle da distribuição
de água dos sistemas e diminuir o desperdício, melhorando a qualidade dos
serviços prestados.
Informações Imirante

Deixe uma resposta