PSDC, PHS, PRTB, PRP e PEN pretendem lançar candidato próprio para governador

Por Clodoaldo Correia
Uma articulação dos nanicos PSDC, PHS, PRTB, PRP e
PEN, pode culminar em uma coligação de proporções maiores para lançar ao
governo o ex-prefeito de
Santa Rita, Hilton Gonçalo, atualmente no PDT. A ideia é filiar o médico a um
dos partidos para que dispute o governo em uma chapa com as pequenas legendas.
Existe ainda a possibilidade do ex-prefeito se filiar ao PP na tentativa de
aglutinar essas legendas em torno de sua candidatura. Uma costura difícil, mas
que é possível, diante das discussões entre os caciques das legendas.

O secretário-geral do PSDC, Alan Kardec, tem tomado à frente do partido para
montar a aliança. Ele disse que o partido já ofereceu legenda a Hilton Gonçalo
com a garantia de ele ser candidato a governador pelo PSDC, mas ainda não houve
a resposta. “Ele ajudaria muito o partido a puxar voto para os
candidatos a deputado estadual e federal. Estamos buscando um entendimento para
que ele (Hilton Gonçalo) fique no partido, que dará toda a sustentação a ele”,
revelou.

Alan disse que uma vez filiado ao PSDC, seria possível a junção das legendas em
torno da candidatura. Mas se Hilton se filiasse a outro partido, como o PP, por
exemplo, era necessária uma nova conversa.


O presidente estadual do PHS, Raimundo Filho, disse que os partidos menores tem
se reunido para caminharem juntos em 2014, mas nada ainda com relação ao apoio
do partido na eleição majoritária. “Temos nos reunido de 15 em 15 dias, muito
mais preocupados com a eleição proporcional. Pretendemos formar uma chapa única
dos pequenos partidos. Com isto bem consolidado começaremos a tratar da aliança
majoritária, mas com todos caminhando juntos”, afirmou. Filho disse que só
depois de garantida a unidade entre os partidos menores, começaria a se
discutir se a aliança seria com o candidato da governadora Roseana Sarney
(PMDB), com Flávio Dino (PCdoB) ou com a candidatura de Hilton Gonçalo.
Posicionamento
de Hilton
O ex-prefeito de Santa Rita diz que é grande a
chance de acertar com um dos partidos pequenos em torno de uma coligação, mas
quer ser presidente do diretório estadual do partido pelo qual for disputar o
governo do estado. O ex-prefeito diz que o problema com os partidos maiores,
como o PSDB que lhe ofereceu legenda, é que os deputados federais acham que
será difícil se reeleger em uma candidatura própria sem coligação com legendas
de maior expressão. “Partimos para um acordo com os partidos menores porque os
maiores que só reelegem seus deputados em um chapão. Então estamos trabalhando
por uma composição entre os partidos sem representação na Câmara Federal para
todos disputarem de forma igualitária. Mas queremos a presidência do partido
para ter a garantia da candidatura majoritária, para poder chegar no interior
do Estado com todo o respaldo, para que nenhum problema no caminho possa
atrapalhar a candidatura”, afirmou.

Outra alternativa para Hilton seria concorrer pelo PP, que tem bom tempo de
televisão, mas caso a filiação ocorra, ele deseja manter os
partidos menores alinhados. Ainda foi dito que também já possui a garantia do
presidente estadual do PP, Waldir Maranhão, para ser candidato pela legenda.

Hilton Gonçalo reafirmou que quer ser candidato a governador do Maranhão, por
isso vê dificuldades em sua permanência no PDT, porém não descartou continuar
no partido. Ele disse que não cogita ser vice de Flávio, até porque não se
discute nenhum vice neste momento nem no cenário nacional. “O PDT fará sua
convenção dia 14 de setembro. Não posso dizer que estou fora do partido porque
política é muito dinâmica. Quem sabe o PDT decide que deve ter candidatura
própria. Não desmerecendo o cargo de vice, mas nem Aécio Neves, nem Dilma, nem
Marina Silva estão discutindo vice nesse momento. Nem eu quero pensar quem será
meu vice agora. O que tenho na minha mente é quero disputar a eleição
majoritária”, delineou.

Deixe uma resposta