Vereador Sandro Marinho é aplaudido em audiência e vira destaque em São Luis.

A metropolização da Ilha de São Luís está de
volta às pautas de discussões tanto no executivo com o início das novas gestões
municipais empossadas no início de 2013, quanto no legislativo estadual com os
deputados Jota Pinto (PEN) e municipal com a vereadora Rose Sales (PC do B).
Diante disso, a análise sobre o tema no intuito de entender as possibilidades
de efetivação desse processo, que embora tenha sido iniciado desde os anos 70,
ainda continua no papel. Para tal, foi feita uma evolução histórica e
geográfica do processo de metropolização no Maranhão, contextualizando com o
cenário nacional, ouvindo especialistas e autoridades políticas envolvidas com
o tema.
Na tarde de ontem (17), na câmara de São Luis, foi
realizada a primeira audiência pública para discutir metropolização entre as
cidades envolvidas.
A vereadora Rose Sales (PCdoB), foi a autora da
proposição que solicitou a realização dessa audiência, que contou com
representantes das cidades de São Luis, São José de Ribamar, Paço do Lumiar,
Rosário e Santa Rita. Apenas Bacabeira, Raposa e Alcântara não tiveram
representantes.
Depois de várias explanações, discussões e
pronunciamentos sobre os impactos positivos e negativos que a metropolização
trará aos municípios inclusos no projeto, o discurso de um vereador da cidade
de Rosário foi surpreendente.
O vereador Sandro Marinho (PSD) usou a tribuna da câmara de São
Luis para fazer duras criticas ao governo do estado, dizendo que havia lido no
Jornal O Estado do Maranhão, a notícia de que Rosário seria integrada à região
metropolitana da grande São Luís, e pensou logo que seria outro engodo da
família Sarney. Segundo o vereador, nas eleições passadas Roseana Sarney (PMDB)
conseguiu eleger-se governadora, através de outro estelionato eleitoral: a
Refinaria Premium.
Segundo Sandro, o povo já está “escaldado” com projetos desse
tipo. A refinaria Premium I é igual aos projetos da Fábrica de confecções de
Rosário e da OAS, outros dois engodos eleitoral da oligarquia contra o povo
rosariense.
Em seu discurso, o vereador citou os esqueletos da fabrica de
confecção e os prédios da OAS, e agora, os restos mortais da refinaria, que foram
obras anunciadas pelo governo do estado. Marinho disse também, que esse tipo de
projeto sempre aparece quando se aproxima das eleições estaduais. Pra quem lembra
a OAS, Fábrica de confecções, Refinaria e agora metropolização, foram anunciada
véspera de eleição estadual. “O povo é
refém desse tipo de política de só aparecer próximo às eleições
. O povo
precisa dar um não bem grande no ano que vem”. Disse!
Até Ricardo Murad foi criticado pelo vereador, por só destinar
recurso a municípios que lhe é conveniente.
Após seu caloroso e firme discurso, o vereador Sandro Marinho,
da cidade de Rosário foi aplaudido e seu pronunciamento virou referência
durante todo o evento.

Deixe uma resposta