Vereadores participam de audiência pública sobre Metropolização, na câmara de São Luis.

Durante
a audiência pública realizada na Câmara de São Luis para tratar da
metropolização da Grande São Luís, uma comitiva da cidade de Rosário formada
pelos vereadores Léo Cavalcante (PTB), Sandro Marinho (PSD), Pedrosa Necó (PSB),
Agenor Brandão (PV) Luis Carlos – Kiko (PP), Ademar do Sindicato (PRP) e Josias
Santos (PMDB), denunciaram o governo do Estado.
Léo Cavalcante 
O
Presidente da Câmara de Rosário, vereador Léo Cavalcante, que fez parte da mesa
diretora dos trabalhos da audiência pública, representando todos os presidentes
de Câmaras das cidades envolvidas no projeto de metropolização. Em seu
pronunciamento, Léo disse que a cidade de Rosário, uma das incluídas na
metropolização, vive um verdadeiro caos urbano: Trafico de drogas, falta de serviços
de saúde, infraestrutura precária, falta de segurança pós-refinaria e outras
mazelas mais.
Cavalcante,
que é filho do ex-prefeito da cidade, Dr. Ivaldo Cavalcante, disse ainda que
está difícil ser político em Rosário, por conta dos inúmeros problemas e poucas
condições para resolvê-los, porém, se sentia feliz em participar das discussões
sobre a metropolização da região, e principalmente, com a inclusão da cidade no
projeto. Ele espera com a metropolização que as coisas melhorem para o povo de
sua cidade.
Pedrosa
Necó, outros vereador rosariense presente no evento, foi aparteado pela
vereadora de São Luis, Rose Sales (PCdoB), onde falou sobre a refinaria Premium
I da Petrobrás. Ele disse que 80% do projeto da tão sonhada refinaria está
dentro do território rosariense, porém, lamentou que só Bacabeira é vista,
falada e beneficiada em tudo. Necó disse que a obra de refinaria só levou mazelas
aos municípios envolvidos.
“A
metropolização veio em uma hora oportuna para a região, por que Rosário precisa
de muitas coisas, dentre elas um hospital regional para atender a região”,
disse.
A audiência
pública na câmara de São Luis contou ainda com a presença do deputado Jota Pinto
(PEN), representante da OAB, representantes das prefeituras de São Luis e São
José de Ribamar, vereadores de São Luis, Santa Rita, Paço do Lumiar e São José
de Ribamar, além de representantes sindicais e da sociedade em geral. A Câmara
de Bacabeira, uma das envolvidas no processo não teve representação.
Fiquem
abaixo com as denúncias, clicando nos linkes:
“Em Rosário os hospitais não têm nada, os doentes precisam ser
transferidos para São Luís, e acabam morrendo no engarrafamento na estrada de
Perizes, dentro de uma ambulância”, disse o vereador Sandro Marinho (PSD).
“Na estrada de Rosário tem uma imensa placa que diz assim, o desenvolvimento
passa por aqui. passa, mais não fica…”
“Nossas cadeias produtivas estão comprometidas, nossos
manguezais e rios estão sendo destruídos”, disse Pedrosa Necó (PSB)

Deixe uma resposta